................ ................ ................ ................

3 perguntas para responder antes de fixar seu preço

O preço é elemento fundamental na criação de um negócio sustentável, mas um dos assuntos menos compreendidos pelas pessoas! Só que não há como fugir, pois é uma excelente ferramenta para dizer quem você é e o que faz, determinar seu público alvo, justificar o investimento do seu tempo e manter seu negócio saudável. E encontrar um preço justo, para você e para seus clientes, é uma das chaves para o sucesso.

Com certeza, esse tema será abordado outras vezes aqui no Assim,Sim!, mas esse post é para você ter uma noção geral e comece a refletir mais sobre o assunto!

(créditos aqui)

QUANTO SEU CLIENTE ESTÁ DISPOSTO A PAGAR?
Primeiro: seu cliente ideal não é você, não é seu círculo de amizades! Se você tem como base o que essas pessoas pagariam pelo seu trabalho, precisa começar a reavaliar a forma de estabelecer seus preços!

Seu cliente ideal é aquele que coloca um grande valor no produto/serviço que você oferece. É aquele que reconhece que não só de matéria-prima é feito seu trabalho. Que reconhece que você gasta valiosas horas do seu dia para criar aquele produto. Que entende que cada um é feito individualmente, com muito cuidado e carinho aos detalhes. É seu trabalho, porém, descobrir o que o seu produto vale, conscientemente. Defina o seu preço pensando em tudo isso e não tire nenhum centavo.

Quando você oferece um preço mais baixo do que seu cliente espera, ele com certeza vai questionar a sua competência, a qualidade do produto, se ele será entregue como esperado, se vai mesmo receber o que está sendo prometido nas fotos e na descrição. O seu negócio depende da sua reputação e seus preços falam sobre ela!

QUANTO VALE SUA HORA DE TRABALHO?
Se seus preços são muito baixos, você vai precisar trabalhar muito mais para conseguir um faturamento que sustente seu negócio. Você acha razoável trabalhar 4 horas em um produto para, no final, lucrar 3, 4, 5 reais ou 10 reais ou algo que seja quase nada por essas tão valiosas horas? Espero que não, pois assim talvez você nunca consiga ter um negócio sustentável! Valorize seu trabalho e as pessoas também irão valorizá-lo! Para estabelecer um preço consciente você precisa avaliar seus objetivos e o impacto das suas decisões no negócio. E essas decisões não podem ser feitas sem planejamento!

QUAL O PREÇO PRATICADO PELO SEU CONCORRENTE?
Observe a política de preços dos concorrentes que você admira pelo sucesso que alcançaram. Muito provavelmente eles cobram preços conscientes e tem clientes fiéis, que se relacionam com a marca e sempre voltam a comprar. Procure estabelecer preços que estejam na média, um pouco abaixo ou um pouco acima, dependendo da sua intenção de posicionamento na sua área! Pouco! Guerra de preços não ajuda ninguém, incluindo conseguir bons clientes. Tenha paciência! Muita gente (muita mesmo!) valoriza e sabe pagar o preço justo por produtos como o seu!

Com preços muito baixos, você só vai conquistar clientes voláteis, que fazem compras de baixo valor e dão muito trabalho! Além de dificultar a valorização dos produtos handmade no Brasil! Sim, parece dramático, mas é uma triste verdade! O seu preço interfere em toda a cadeia craft!

Não tenha medo de ganhar o que você e o seu trabalho merecem! Não tenha medo de desejar que seu negócio prospere... tenha consciência do que deseja ganhar e construa o seu negócio baseado nesse objetivo! E, antes de mais nada, paciência! Negócios precisam de tempo, de muito trabalho e boas ideias para darem certo!

Enquanto você pensa mais sobre esse post, eu gostaria muito de saber quais suas maiores dúvidas em relação ao assunto, para ir organizando os próximos post sobre o tema! Aguardo seu comentário!

Inspirado no texto Mindful Earning: 3 Rules To Set Prices With a Conscience, Tara Gentile.

Gostou desse post? Compartilhe com seus amigos no Twitter! Use o link http://bit.ly/ehWsnY