................ ................ ................ ................

{ minha experiência } por márcia marinho

Esses dias recebi um e-mail da fofa da Aline, do ateliê A Minimalista - Moda e Caprichos, sugerindo um espaço com depoimentos reais de pessoas que trabalham com handmade business! Minutos (minutos!) depois chegou outro e-mail de uma mocinha muito criativa, que sempre me dá de mão beijada ótimas ideias aqui para o Assim,Sim!, compartilhando um pouco mais das suas ideias, planos e experiência!

Com esses dois e-mails e mais o moooonte de pedidos de vocês para conhecerem pessoas (reais!) que largaram tudo para investir no sonho de viver do seu handmade business, pedi para a mocinha criativa aí de cima escrever contando a sua história e inaugurar o { minha experiência }, com depoimentos de crafters/artistas/artesãs!

Quer participar? Mande um e-mail com o seu texto, compartilhando sua experiência... aos poucos vou selecionando e publicando aqui, combinado?

Então com vocês...

QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO?
por márcia marinho

"...aquilo que se teme nunca é tão ruim quanto se imagina. O medo que você deixa aumentar em sua mente é pior do que a situação que realmente existe..." Spencer Johnson, autor do livro QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO?

Definitivamente eu mexi no meu. Afinal o medo paralisa e a força de realizar deve ser maior que o medo de errar. A mudança deve vir no momento ao qual tudo está equilibrado, afinal quando estamos desempregados o foco é se manter financeiramente (emocional). Quando ao contrário disso estamos em equilíbrio, lutar por ideais é bem mais racional.


Sempre fui motivada pelo amor as instituições as quais trabalhei e suas histórias (nunca deixei o ponto extremo ou falta de motivação me pegarem, sempre tive em mente que fui eu quem dei o primeiro passo deixando o meu currículo). E foi com a ajuda delas, das pessoas com as quais tive oportunidade de conhecer e conviver, das informações absorvidas, ou seja, devidamente anotadas (anote tudo, sejam sonhos, metas, ideias soltas, apaixone-se pelos defeitos dos seus objetivos, leia, pesquise, estude) que tudo foi ganhando forma. Depois foi esperar o medo e a insegurança darem trégua (também vale a frase não pense demais pois corre o risco de não fazer nada!).

Já que de carona com esse tão esperado e imaginado objetivo (artesanato) queria tudo novo, optei por Pernambuco, pelos contatos e amizades na área. Aviação era o plano B, em caso de ter que mudar de área então que eu volte para algo que amo (não consigo fazer absolutamente nada sem amor). Não foi com imaturidade que as coisas aconteceram, só não fui de espalhar aos quatro cantos, mas sim de anotar em boas páginas. Resumindo: amor, determinação, planejamento e metas. Hoje ainda tenho conflitos de adaptabilidade, afinal nasci e cresci em São Paulo e profissionalmente na aviação, onde o relógio é quem comanda.

Minha aparente utopia está fluindo (3 anos já!) e tenho colhido frutos de dias intensos e diretos de suor e inspiração, de amor e determinação. Podia e me inspiro a falar mais no assunto mas termino com algo que me identifiquei em um dos cursos do Sebrae: "Ninguém melhor do que você mesmo para dizer o que quer e pensar em como vai fazer para chegar lá. É você quem sabe com quem pode contar, quanto você pode gastar e até aonde quer ir. Mais importante do que saber onde se quer chegar é planejar o caminho a ser traçado. Lembre-se de que por maior que seja, uma catedral começa com um tijolo em cima do outro. Ninguém motiva ninguém, o que se pode fazer é criar as condições necessárias para que alguém se motive." Portanto mexa-se!