................ ................ ................ ................

delegar ou não delegar, eis a questão!

Por Melina Pettendorfer

Nosso negócio começou bem pequeno, na nossa casa, saiu de dentro do nosso coração… mas chega um momento aonde nosso coração, nossos dois braços e pernas não dão mais conta do recado. É duro para uma mãe ou pai entender isso mas o fato é: seu bebê cresceu! E agora?

JÁ ESCUTAMOS
"No meu negócio eu cuido de tudo! Acabo não conseguindo me dedicar ao que eu realmente gosto de fazer. Por isso preciso de uma equipe: para tomar conta de tudo que eu não gosto muito no meu lugar."

 { conheça a galeria de danny brito }

O QUE PENSAMOS
Quando estamos totalmente cheios de trabalho e nosso pequeno negócio está crescendo rapidamente, estamos felizes e gratos mas com a sensação que não vamos conseguir continuar nesse ritmo. Será que a resposta é mesmo delegar? Será que quando você colocar todo o movimento da sua loja virtual, por exemplo, na mão de outra pessoa, as coisas continuarão andando tão bem?

Vamos a algumas perguntas para te ajudar a identificar se realmente precisa delegar, dividir responsabilidades maiores ou simplesmente ajustar a sua empresa como um todo para caber no tamanho que você quer, no tamanho do seu sonho!

         leia também :: uma pequena-grande-empresa... esse é meu sonho!

. Onde eu preciso de ajuda?
São tantas tarefas por dia de naturezas tão diferentes que chega um momento aonde tudo parece chato e você só quer saber de cuidar e criar do seu produto. Não deixe esse cansaço esconder seus talentos: quem sabe você, além de uma ótima costureira, também faz toda a diferença na hora de conversar com suas clientes? Delegar para uma assistente essa tarefa pode acabar passando uma impressão de descaso da sua parte… ou então você tem todos os valores de cabeça na loja virtual, organiza as vendas de maneira rápida e eficiente… será que esse diferencial deve ser substituído? Ou você consegue capacitar alguém para fazer como você? Você quer fazer isso?

- Com a cabeça fresca e descansada, coloque no papel todas as tarefas que você costuma desempenhar e faça uma escala das que você mais gosta até as que você menos gosta. Analise as tarefas do final da lista… é possível delegá-las? Como? Qual é o perfil da pessoa que poderia trabalhar neste cargo?

. Qual é o nível de envolvimento que eu quero dar?
Muitas coisas estão ligadas em nossos negócios e todas as etapas são de responsabilidade grande! Desde verificar a contabilidade até colar o endereço certo na caixa certa… você gostaria de delegar algo mais simples ou está procurando um braço direito, alguém para dividir meio a meio? Será que alguma dessas etapas pode ser automatizada contando com a ajuda de softwares ou aplicativos?

- Pegue a mesma lista que fez no tópico acima e detalhe mais: tarefas dentro de tarefas. Alguma delas pode ser automatizada? Exemplo: Uma dica da nossa parceira Simony foi o endereçador dos correios. Um programa que pode ser baixado diretamente no site dos correios e que automatiza bastante a impressão de endereços para as caixas. Ficou mais fácil e seguro endereçar sem necessidade de aumentar a equipe.

. Preciso de um colaborador ou de um sócio?
Se nas suas listinhas você notou que fazer a contabilidade é uma verdadeira tortura e que se você atender todos os telefonemas acaba batendo papo com as clientes e não consegue mais fazer nada, você pode estar precisando de um relacionamento mais sério, quem sabe um sócio? Sabemos que sociedade é como casamento e se você ainda não se sente pronta para casar considere delegar essa tarefa para outras empresas… delegar para fora da sua empresa. Menos um item na sua listinha e sendo resolvido por profissionais competentes que não precisam da sua supervisão a todo momento!

. Preciso mesmo?
Aí é que está! Aproveite esse momento de análise profunda e entenda como toca o seu negócio para identificar se você precisa mesmo delegar ou se o caso seria, por exemplo, reajustar os preços que você cobra e aceitar menos encomendas por mês, simples assim!

MINI FLASHBACK
Contando um pouco da nossa história: foi em 2008 que eu comecei com as Carinhas, no mês de julho! Naquela época, o Rapha, meu então namorado, sempre me incentivou muito! Ele me dava dicas nos desenhos, nas cores, uma ajuda fundamental na produção, mas ele também tinha seu emprego de designer como eu, naquele momento.

Em 2009 eu me desliguei do meu emprego e passei a ser 100% Carinhas! Pouco tempo depois houve um fato que me afastou por um mês do ateliê, mas, mesmo comigo longe o negócio tinha que continuar! Adivinha quem me ajudou? O Rapha, que praticamente se mudou pro meu apartamento na época e graças ao telefone e internet as Carinhas continuaram a crescer.

Eu já estava de volta e o crescimento era maior e maior… certa vez eu me vi rodeada de tantas canecas, desenhos, impressões que nem conseguia me movimentar em casa, foi aí que intimei o Rapha pra vir trabalhar comigo e virar meu sócio de vez! Uau, quanta diferença! Os talentos de administrador do Rapha praticamente colocaram a empresa em ordem… confesso que sou muito bagunçeira e prática então esse novo olhar foi fundamental para a empresa continuar crescendo.

É, eu precisava de um sócio mesmo! Mudamos de casa, a fábrica aumentou, casamos… a produção só faz crescer! Estamos em busca de um colaborador além das muitas empresas que já nos atendem como tercerizadas!

VAMOS CONVERSAR?
Você já começou a busca por um sócio? Colaborador? Encontrou? Como você fez para entender do que precisa e como essas contratações ou mudanças fizeram a diferença para sua empresa?