................ ................ ................ ................

as aventuras de sofia e seu craft business | 03

por Cissa Chiarini . Cupcake Hortelã e Bebê Cupcake

Sofia contratou um designer para criar a identidade visual do seu ateliê e já está com uma lista de ideias de como vai atuar na Internet para conquistar seus clientes e transmitir a essência da sua marca. Agora, Alice irá ajudá-la a cuidar da apresentação dos seus produtos e a valorizar cada vez mais o seu trabalho, causando uma excelente primeira impressão.

 { créditos :: lucid dreaming }

“- Alice, fiz tudo como você orientou no último e-mail. Depois de anotar as  ideias a respeito da minha marca e o que desejo expressar com ela, entrei em contato com um profissional para criar minha identidade visual. Também já pensei no meu diferencial e criei os moldes dos primeiros produtos que vão fazer parte do meu portfólio. Agora preciso da sua ajuda sobre a melhor maneira de apresentá-los para quem não terá a oportunidade de “ver com as mãos” e também  como valorizar meu trabalho, mostrando que ele tem qualidade e assim conquistar o respeito das pessoas.”

“-Oi, Sofia! A cada e-mail que trocamos vejo seu amadurecimento como empreendedora e as bases sólidas que está criando para que sua empresa seja um sucesso. Como você disse, agora é preciso apresentar seus produtos de forma a encantar clientes e causar uma excelente primeira impressão. Com certeza, as fotos são a principal ferramenta para isso, mas também a descrição dos produtos e os preços.

Como diz a Eva, da La Pomme, “a fotografia vai além de ilustrar um produto, ela também reflete a proposta e o conceito do seu trabalho e a sua maneira de desenvolvê-lo”. Por isso é preciso muito cuidado e dedicação com essa questão. Primeiro você precisa entender cada função da sua câmera e como elas poderão te ajudar a tirar fotos cada vez melhores. Por isso, leia o manual (sim!) e faça muitos testes de luz, de fundo, enquadramento...

Também reflita sobre qual tipo de fotografia é melhor para seu produto, qual a melhor forma de transmitir as características da sua marca e como se destacar da concorrência, tudo isso através das fotos. Vai ser preciso se dedicar bastante, ler muito sobre o assunto e quem sabe até fazer um curso de fotografia para se aprimorar. Com certeza será um dos investimentos mais importantes para o seu ateliê.

Mas as fotos também precisam estar acompanhadas de uma boa descrição. Para isso você precisa se colocar no lugar do cliente e pensar também nas suas experiências. O que você pensa quando entra em uma loja virtual, gosta muito de um produto, mas ele tem apenas uma foto e nem meia frase para descrevê-lo? E você acaba encontrando um produto similar, com várias fotos e uma descrição que não te deixa nenhuma dúvida? Então procure ser o negócio que se destaca pela qualidade das descrições e das fotos para que seus clientes sintam-se seguros para efetuar a compra.

E para testar se sua descrição está realmente boa, chame uma amiga que não é crafter e que seja bem sincera para fazer um teste: peça para ela ler a descrição que você criou. Depois mostre as fotos daquele produto para que ela diga se descrição e fotos estão condizentes. Por fim, mostre o produto pronto para que ela possa dizer qual seria sua reação quando recebesse a compra.

Feito isso, agora é hora de pensar no preço final dos seus produtos, que é elemento fundamental na criação de um negócio sustentável e também uma forma de valorizar seu trabalho. Apesar de não ser algo simples, encontrar um preço que seja justo para você e seus clientes é uma das chaves para o sucesso. Depois de calcular o seu gasto para produzir determinado produto, você precisa pensar em três variáveis: quanto seu cliente está disposto a pagar, quanto vale o seu trabalho e qual o preço praticado pela concorrência.

Assim, procure estabelecer preços que estejam na média, um pouquinho para mais ou um pouquinho para menos dependendo da sua intenção de posicionamento. Preços muito baixos não ajudam nenhum negócio e faz você conquistar apenas clientes voláteis, que só procuram pechinchas e não valorizam o trabalho artesanal. Além de também dificultar a valorização dos produtos handmade no Brasil. Ou seja, seu preço interfere, sim, em toda cadeia craft.

Por isso não tenha medo de ganhar o que você e seu trabalho merecem. Não tenha medo de desejar que seu negócio prospere. E, Sofia, você vai precisar de paciência, pois negócios precisam de tempo, de muito trabalho e boas ideias para darem certo!

Agora você tem bastante trabalho pela frente até darmos o próximo passo que é divulgar, começar a vender e atender e se relacionar com todos os seus clientes.
Até a próxima!”

LEIA OS POSTS ANTERIORES DA SÉRIE
. as aventuras de sofia e seu craft business | 01
. as aventuras de sofia e seu craft business | 02

Coluna publicada no Jornal Craft & Cia, Dezembro, 2011.